Notícias Notícias

2.10.2012 | admin

Link Analysis é a novidade da Cellebrite

Carlos Silva, da Cellebrite, no ICCyber 2012

Carlos Silva, da Cellebrite, no ICCyber 2012

Empresa israelense mostra como potencializar as funcionalidades analísticas do UFED a partir do relacionamento dos dados capturados em múltiplos celulares

O UFED Touch Ultimate, da empresa israelense Cellebrite, parceira da TechBiz Forense Digital para a extração e análise de dados de aparelhos celulares, chamou a atenção do público do ICCyber 2012 que circulava pelo foyer, onde se encontravam os estandes com as soluções para investigação dos crimes digitais. A nova geração da solução de forense móvel da Cellebrite é capaz de extrair dados, decodificá-los, analisá-los e gerar relatórios com o conteúdo obtido a partir das extrações física, lógica, dos sistemas de arquivo e de senhas.

“Retiramos informações não só de celulares, mas de todos os dispositivos com memória flash, incluindo Ipad e GPS”, explicou Carlos Silva, gerente de projetos da Cellebrite. “O que estamos trazendo de novidade para o Brasil e apresentando no ICCyber 2012 é o software Link Analysis, que permite aos investigadores retirar informações de três a cinco celulares e fazer a conexão entre os dados encontrados nos aparelhos”, completa.

Dados existentes, deletados, escondidos de múltiplos aparelhos podem contextualizar investigações e identificar conexões entre suspeitos de um crime, identificando padrões e anomalias. O Link Analysis potencializa a capacidade analítica do UFED, que pode ser adquirido em uma mala reforçada ou standard (um case menor).

Toda a tecnologia da Cellebrite é desenvolvida em Israel, onde se encontra a sede da empresa. “Nosso maior mercado é os Estados Unidos, que responde por quase 70% de nossas vendas. A América Latina é uma aposta nova e acreditamos na força do mercado brasileiro”, conta Silva, revelando que a empresa, em breve, abrirá um escritório no Uruguai.

Benefícios do Link Analysis

• Revela as conexões diretas e indiretas entre pessoas por meio de suas ligações, mensagens de textos, chats e trocas via aplicativos.
• Mostra o grau de conexão entre as pessoas, caso elas compartilhem conexões via múltiplos dispositivos
• Permite aos investigadores associar pessoas dentro de grupos.
• Filtra dados por horário de dados, número de vezes que os contatos foram estabelecidos e categorias.
• Procura dados por palavras-chaves como nomes, endereços, códigos de áreas e outras informações.
• Ajudar a traduzir padrões regulares e irregulares de atividades.

Leia também: UFED da Cellebrite ajuda a incriminar terrorista na Colômbia

Share:

| More

Press agent

Roberta Maia - roberta.maia@techbiz.com.br
(21) 3736-7058/ (21) 98290-4653