Notícias Notícias

23.03.2015 | admin

Combate ao crime cibernético entra em pauta no Brasil

O diretor técnico da TechBiz, Renato Maia, durante o Kick Off 2015

O diretor técnico da TechBiz, Renato Maia, durante o Kick Off 2015

Pioneira na busca por tecnologias e competências para combater o cibercrime, TechBiz Forense Digital celebra avanços em 2014; próximo passo é a Forense Digital Colaborativa!

Há dez anos, a TechBiz Forense Digital definiu como visão assegurar que todos os agentes envolvidos no combate aos crimes digitais estivessem equipados com a mais avançada tecnologia disponível para este fim. A empresa começa o ano de 2015 celebrando iniciativas importantes das instâncias públicas que reconhecem cada vez mais a importância e a necessidade das tecnologias de ponta para detecção, reação e investigação dos incidentes cibernéticos.

No ano passado, por exemplo, a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça), dentro do programa do governo federal ‘Brasil Mais Seguro’, ratificou: “É importante que os órgãos oficiais de perícia estejam estruturados para atender de maneira eficiente e efetiva às requisições de computação forense”. Segundo diagnóstico da Senasp, o total de passivo de exames nas unidades de criminalística do país na área de computação forense é de 10.241 exames.

“Há dez anos levantamos essa bandeira. Trouxemos para o Brasil os produtos para tornar essa visão realidade, desenvolvemos competências e habilidades necessárias para combater os crimes digitais. Temos um posicionamento único no mercado, um propósito e uma crença do que o que fazemos gera valor para a sociedade, muito além do simples retorno financeiro”, diz o diretor técnico da TechBiz Forense Digital, Renato Maia.

Desafio

O próximo desafio encampado pela empresa é o da investigação colaborativa, ou seja, não só equipar os envolvidos no combate ao crime digital com o que há de melhor em tecnologia, mas permitir, através da evolução tecnológica, ganhos de produtividade através do compartilhamento e colaboração online entre todos os “stakeholders” envolvidos – peritos, analistas, especialistas, delegados, entre outros.

“Já disse o poeta: ‘nenhum homem é uma ilha’. Acreditamos que ‘nenhum perito é uma ilha’ e queremos apresentar um paradigma inovador ao modelo atualmente em uso. Sem colaboração e a tecnologia adequada, será impossível acompanhar a demanda. Somos a única empresa com tecnologia capaz de endereçar essa missão de realizar investigações digitais e resposta a incidentes em um modelo colaborativo”, conclui Maia.

Diante disso, a TechBiz Forense Digital lança uma adaptação do Manifesto Ágil, da área de desenvolvimento de software, aplicado à Forense Digital e à Resposta a Incidentes. “Neste manifesto, pregamos a valorização da colaboração, através da comunicação constante entre as partes envolvidas; a necessidade de abraçar mudanças, com redefinições sobre o que é relevante; e o emprego de iterações ágeis, utilizando análises técnicas aprofundadas somente quando realmente necessário”, resume o diretor da TechBiz.

SAIBA MAIS

Manifesto Forense Digital

· Encontrar o que é relevante, iterando rapidamente

· Interação constante com o cliente, redefinindo o “relevante”

· Equipes em colaboração, como fundamento para produtividade

· Profundidade técnica, somente se necessário.

Share:

| More

Press agent

Roberta Maia - roberta.maia@techbiz.com.br
(21) 3736-7058/ (21) 98290-4653