Cases Lavagem de dinheiro e crime tributário

Das 47 máquinas encontradas no escritório de um estabelecimento comercial, 23 foram apreendidas pelos peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) do Rio de Janeiro. A denúncia envolvia lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e crime contra a ordem tributária. Segundo as informações da Secretaria Estadual da Fazenda, o estabelecimento estaria operando em nome de outras empresas, com menor faturamento do que o esperado, em uma manobra para participar de um sistema de tributação mais vantajosa e pagar menos impostos.

Com o Solo 3 em mãos – equipamento da Intelligent Computer Solutions, vendido no Brasil pela TechBiz Forense Digital – os peritos do ICCE fizeram duas cópias perfeitas dos 23 Discos Rígidos a serem investigados, encaminhando uma das duplicações ao advogado da parte acusada. Até dois HD foram “clonados” simultaneamente, a uma velocidade de até 3GB/min.

“Quando temos até cinco máquinas para analisar, fazemos a clonagem no próprio local de apreensão. As pessoas, em geral, pensam que vamos capturar alguns arquivos do computador e se surpreendem quando coletamos todos os discos rígidos. Nesse caso, foram 23 máquinas e preferimos trazer o material para o Laboratório de Forense Digital do ICCE. O material já se encontra duplicado, pronto para a análise forense. Só aguardamos o encaminhamento, pelo juiz, dos quesitos a serem analisados”, Carlos Eduardo Mesquita, perito criminal do ICCE – RJ.